segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Isso é que é transparência!


E depois tem gente que reclama de que os governos não são transparentes. Vejam o que publicou o Diário Oficial do Estado de Santa Catarina, cujo governador é Luiz Henrique da Silveira, ex-presidente nacional do PMDB. A matéria é da repórter Ana Minosso, do Diário Catarinense. O governador tem motivos pra sorrir, já que a máquina da reeleição está preparada.


Secretaria de São Miguel do Oeste divulga texto de campanha no Diário Oficial , em desacordo com a legislação

Um ato complica a definição do que é público do que é partidário na Secretaria de Desenvolvimento Regional de São Miguel do Oeste. Há pouco mais de um mês, o secretário regional José Carlos Zandavali Fiorini (PMDB) chamou os líderes peemedebistas da região do Extremo Oeste para organizarem a campanha eleitoral de 2006 e a reeleição de Luiz Henrique. Dois dias depois, aparece publicado no Diário Oficial (o jornal responsável pelas publicações governamentais) um resumo do encontro político. Em forma de carta, foi endereçada ao governador (veja o conteúdo ao lado) e carrega a assinatura de Juca Fiorini, como é conhecido o secretário regional. A publicação de 35 centímetros, na página 31, vem abaixo de uma publicação oficial da secretaria de São Miguel do Oeste que chama para uma licitação. Na Secretaria Regional de São Miguel do Oeste, a primeira criada por Luiz Henrique, ninguém sabe como a carta foi parar no Diário Oficial. Ninguém sabe também quem vai pagar por ela. A Diretoria de Gestão de Atos Oficiais (ex-imprensa oficial), responsável pelo Diário Oficial, afirma que a carta foi encaminhada pela secretaria regional, mas não houve nenhuma solicitação para desvinculá-la dos anúncios oficiais. Tanto que a nota fiscal para cobrança das despesas de dezembro (aí incluído o valor da carta) foi encaminhada a São Miguel do Oeste em meados de janeiro, pelo Correio. Tudo leva a crer que a carta política seria paga com recursos públicos, junto com as outras publicações. Mais do que publicar no Diário Oficial uma carta política, o gesto demonstra que a hoste peemedebista está se preparando fortemente para a eleição. Com a gestão descentralizada em 30 secretarias regionais pelo Estado, ficará difícil aos órgãos de fiscalização manterem um controle sobre os atos dos correligionários de Luiz Henrique. Governador teria reclamado em 2002 No Extremo Oeste, o arranjo de um grupo de trabalho para o pleito foi feito depois de reclamações do próprio governador. Na eleição de 2002, ele teria constatado "falta de organização" naquela região. A celebração entre os correligionários do PMDB foi feita na noite de 13 de dezembro, no Hotel San Villas, de propriedade de Juca Fiorini, o secretário regional. A coordenação política coube ao ex-prefeito Luiz Basso (PMDB). Basso ocupa o 2º cargo mais importante da Regional de São Miguel do Oeste, o de diretor-geral. Além dele, outros sete nomes figuram no que ele considera o "grupo pensante" da eleição, inclusive o próprio assessor de imprensa da regional, Ivan Anzolin, responsável pela divulgação dos atos do grupo.

(Trechos da carta)
"São Miguel do Oeste, 14 de dezembro de 2005
JOSÉ CARLOS ZANDAVALI FIORINI, SECRETÁRIO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL - SMO
Sr. Governador
Na data de ontem, reunimo-nos com os Prefeitos e Presidentes do PMDB, dos doze (12) municípios que compõe esta região onde, na oportunidade, elegemos o Coordenador Político Regional para organizar a próxima campanha eleitoral, e o fizemos criando como forma de apoio - um grupo de trabalho, composto por três (03) subcoordenadores, observando - norte, centro e sul da região; um secretário geral; um encarregado de divulgação e dois assessores"
Isso tudo, para que este grupo de forma responsável e organizada, realize as reuniões, os comícios, os encontros e tudo relacionado com a campanha política, não repetindo a falta de organização verificada na última campanha ao Governo do Estado, na região, quando Vossa Excelência constatou as falhas e solicitou providências.
Pretendemos agora, com o nosso incondicional apoio, de logística e operacional, criar as melhores condições para divulgar as mensagens, os atos de governo, mobilizar os companheiros e levar ao conhecimento da população a imagem do governador como pessoa de fácil acesso, atenciosa, responsável, cumpridor de sua palavra, interessado com o desenvolvimento econômico-social e o bem-estar da gente do Extremo Oeste.
(...)
Constatamos de que todos querem demais ter um contato fraterno com o seu companheiro Luiz Henrique, Governador do Estado, não para tratar com ele assuntos administrativos, pedidos, etc... mas, para estreitar, os laços de amizade, de aproximação, e de convivência.
(...)
Na nossa modesta forma de entender e agir, que é do conhecimento de Vossa Excelência, respeito e também comungo, com esta idéia e com este procedimento que vem sendo adotado, de forma a dar preferência ao que é mais importante para o desenvolvimento da gente catarinense, criando condições, com ações rápidas e modernas de administração - afastando-se da política "velha", "velhaca", como Vossa Excelência tem dito.
Nada mais tendo para o momento, fico no aguardo de um posicionamento e aproveito o ensejo para lhe enviar meu cordial abraço.
Atenciosamente, JUCA FIORINI"
Publicada no Diário Oficial de 15 de dezembro de 2005.


Sem comentários!

2 comentários:

Tambosi disse...

Público e privado, no Bananão, viraram uma zorra só.

Abs., Tambosi

Anônimo disse...

Loucura, ingenuidade, burrice, cavalice, sacanagem, ou o quê?
Eu arrisco um palpite: quem cria uma infra-estrutura política tão poderosa - como as secretarias regionais - corre o risco de ingerir o próprio veneno.
Nosso governador é o mesmo que, quando ministro do José Sarney, disse que "um dia a inteligência artificial vai superar a inteligência humana". Ele era ministro da Ciência e Tecnologia. Ninguém me contou: eu assisti a palestra que ele deu para um grupo de empresários, no Paula Ramos Esporte Clube, bairro da Trindade.
Abraço
Carlos Damião