quarta-feira, março 15, 2006

Alckimia


Bom, o improvável aconteceu: os tucanos decidiram lançar Alckmin contra Lula. Jogaram no colo do apedeuta a chave do Alvorada por mais quatro anos. Eu tinha alguma esperança com Serra que, mal ou bem, foi forjado no pensamento "desenvolvimentista"; ou seja, não voltado para banqueiros e rentistas.
Se Lula não ganhar, não vai fazer a menor diferença. Com o picolé de Chuchu (crédito ao Simão), serão mais quatro anos de marasmo, de mesmice, de vôo de galinha; enfim, tudo de que o Bananão precisa para continuar com os recordes de desigualdade e de juros altos.
Com Serra seria diferente? Não estou certo, mas lembro de que em 2004, economistas da Unicamp que podem ser classificados de "esquerda" apoiaram Serra contra Marta, para a prefeitura de São Paulo. Só o fato de não agradar aos banqueiros ele já soma milhares de pontos no meu conceito. Seria, pelo menos, uma tentativa.
Com Alckmin, nem isso será. Como mostra a foto aí do lado, vai ser a continuidade do FHC, ou seja, a continuidade do Lula... Afinal, chuchu é tudo igual; é o quarto estado físico da água.
Mas o bicho foi macho. Peitou Serra, até então considerado o anti-Lula. (Mais uma prova de que Alckmin vai apenas continuar o que está dando errado é sua rejeição à expressão "anti-Lula".) Acho que pra decidir a disputa, a cúpula tucana decidiu medir o tamanho dos bicos dos candidatos. Covardia, né.
O grande erro do vampiro foi ter se candidatado à prefeitura de São Paulo, em 2002. Tivesse esperado mais um pouco e poderia até bater chapa com Alckmin, já que não teria o que perder. Agora, resta o governo do estado, onde a mulher do argentino aparece em primeiro nas pesquisas. Dá-lhe vampiro; vamos sugar o sangue da madame.

2 comentários:

Giancarlo disse...

Daí, velho. Pois olha, eu prefiro o chuchuzão ao vampiro/homer. Vai deixar nossa eleição com cara de Bob Dole x Clinton. Ou seja, tanto faz com tanto fez. Quanto ao Serra desenvolvimentista... Eu classificaria de intervencionista, estatista, anti-liberal... E olha que, profissionalmente, o Serra pra mim era mais negócio(s), hehehehe. Abraço, mano. E vê se dá as caras por aqui.

ph disse...

Gian, faz sentido. Como você gosta do governo Lula, é natural que goste também do Alckmin. Não é o meu caso. Como aprovar governos que só fazem manter as situações que nos levaram a ter a maior taxa de juros do mundo e uma das piores distribuições de renda do planeta? E isso não tem nada de idealismo, bobo. Mudar é factível. Quanto ao Serra, pode ser intervencionista, sim. E acho ótimo isso. Até os liberais mais empedernidos concordam que o estado precisa intervir, sim; que os mercados não se auto-regulam como apregoado por aí. Isso caiu por terra depois que surgiram as teorias de assimetria de informação. É claro que há limites para a intervenção. E o Serra me parece sensato em relação a isso. Não é estatizante, mas interfere quando o interesse público está em jogo, como no caso das patentes de remédios. Enfim, se você gosta de deixar tudo por conta dos "mercados", que tudo resolvem, então é Lula ou Alckmin. Pra mim, não dá.
Na Páscoa estarei por aí.
grande abraço