quarta-feira, setembro 27, 2006

Teoria das cordas

O físico David Gross, ganhador do Nobel de 2004, diz, na Folha de hoje, que a controversa teoria das cordas já pode ser testada empiricamente (ou falseada, como diria Popper).

2 comentários:

O MULTIFÁRIO disse...

Veja esta interessante representação da teoria das cordas:
http://www.pbs.org/wgbh/nova/elegant/scale.html

O MULTIFÁRIO disse...

Na verdade, a teoria das cordas está mudando nossa concepção acerca da natureza do espaço, dissecando a sua composição, levando à possibilidade da existência dos universos paralelos.

Já sabemos que as dimensões ou densidades da matéria(11 até agora) têm muito de ver com a gravidade existente na agregação da matéria espaço afora, e muito de ver com o espaço-tempo.

Os fenômenos do Triângulo das Bermudas são decorrentes do aumento da gravidade no local, que permite em certos momentos o retrocesso no tempo.

O governo alemão na segunda guerra conduziu muitas experiências neste sentido, levadas posteriormente aos Estados Unidos por Von Braun, onde continuaram a ser desenvolvidas pela Nasa, que encontrou aplicação em propulsão de naves usando o elemento químico Unumpentium, que colocado no reator de uma nave, DOBRA (de "dobras espaciais") o espaço à sua frente, anulando a velocidade da luz como limite máximo de navegabilidade. Já nos anos sessenta, enquanto a imprensa era entretenida com a farsante viagem à Lua, usada como cobertura, um projeto sério teve lugar, conduzindo 12 militares-astronautas numa magnífica experiência que somente agora, após a morte do último deles, está sendo liberada documentalmente. Os dados trazidos foram analisados por Carl Sagan e outros cientistas notáveis. Os russos também praticaram estas experiências, através dos cientistas alemães que confiscaram, e progrediram no setor, razão pela qual calaram a boca tocante à farsa da viagem americana à Lua