quinta-feira, fevereiro 07, 2008

Luto

Se a semana já estava triste por todos os motivos apontados pelo Damião, meu Carnaval foi ainda pior. Um tio meu, irmão mais novo do meu falecido pai, morreu no domingo, aos 55 anos. Uma consternação só.

Não sei se alguém sabe, mas eu não sei lidar com a morte - ou com o tempo. Acho esquisito o tempo passar, as crianças crescerem, a gente envelhecer e morrer. Em oito anos, perdi meu avô, meu pai e meu tio. O vô já tinha 76 anos, mas o pai e o tio nem completaram 60. Acho muito cedo.

O núcleo da família vai se esfacelando. Não tem mais a casa da vó e do vô; nem as reuniões de família lá. A casa da mãe está cada vez mais vazia. Os irmãos vão cada um pro seu lado. Enfim...
É claro que isso ia acontecer, mas precisava ser tão cedo?

Se foi pesado pra mim, imaginem para a minha vó. O envelhecimento cobra um preço alto: chegar aos 80 e perder dois filhos é um fardo pesado demais. Está desolada, tadinha. Corta o coração da gente. Espero que ela, minha tia e primos tenham força pra suportar mais essa barra.

Relevem esse desabafo piegas.

3 comentários:

Giancarlo Proença disse...

É brabo, meu velho. Só imagino a barra para a tua avó. Até porque o rumo natural das coisas é nós perdermos os avós, os pais. E não os filhos e os netos. Força aí!

Orlando Tambosi disse...

PH, a avó é mulher e forte, como são as mulheres em geral. Sabe o que é ultrapassar os 70. Tíve inúmeros exemplos na minha família.
Só te digo uma coisa: rastreie o motivo da morte desses parentes, ainda novos, e cuide-se. Tento fazer isto depois de muitas mortes próximas.
Abs.

Adriana disse...

É....não é fácil...perdi meu pai aos 13 e tenho agora 17.... ele tinha 47... pessoa merecedora de tudo de bom.... não dá pra entender e nem adianta tentar... o que adianta é sorrir, sempre... porque a força sempre vem!! Abraço!