sábado, janeiro 21, 2006

Coerência basta?

Esta nota é sobre uma discussão das boas que rola no blog do professor Orlando Tambosi, O Iconoclasta (link ao lado). É um comentário meu sobre um outro feito por Aluizio Amorim, cujo blog, O que Pensa Aluizio, também recomendo (link ao lado). Aluizio diz o seguinte:

- Bornhausen é coerente com as suas idéias. E o Brasil precisa de políticos como ele, que não andam por aí mentindo e promovendo um mar de lama de corrupção. Aliás, Bornhausen é o único político que faz uma oposição séria a esse governo pífio dos esquerdóides.

Respeito a posição de Aluizio - que aliás é um cidadão inteligente e muito bem educado -, mas discordo dela. Realmente, Bornhausen é coerente, assim como Stálin e Hitler também foram. Não estou dizendo que o senador é nazista, pelo amor de Deus! Estou dizendo que coerência só não basta; isso por amor à lógica. Ser coerente não é uma virtude capaz de, sozinha, levar o meu voto. Bornhausen foi coerente, sim; sempre apoiou a ditadura, contra a qual todos nós, democratas, nos insurgimos quando as tentativas de aparelhar o Estado são do PT. Pois digo que de liberal o Bornhausen e o seu pefelê não têm nada. São da mesma laia do PT: se apropriam do Estado para interesses privados; sempre foi assim. De repente, parece que as desgraça do PT tem o estranho poder de tornar todo o resto "a salvação da lavoura". Os colegas pefelistas dele são coronelões lá do Nordeste, em cujas fazendas há até trabalho escravo. Exemplo de liberalismo! Digo uma coisa: não há liberais no Brasil; nem pra isso este país presta. O discurso dos pefelês é de o estado mínimo, sim, para que eles, que têm dinheiro, pintem e bordem.
Quanto à corrupção, o banco Araucária, lá do Paraná, que era da família Bornhausen, foi citado umas milhares de vezes na CPI do Banestado como uma das portas de saída do dinheiro ilegal para o exterior.
Concordo só com a afirmação de que Bornhausen é o mais contundente opositor do (des)governo Lula.

[Fumando um Dona Flor Pirâmide - não é um Partagas, mas é melhor do que o Jose Piedra]

2 comentários:

Aluizio Amorim disse...

pH,

vc tem todo o direito de discordar das minhas opiniões. Mas vamos levantar alguns fatos: Bornhausen tem 68 anos de idade, portanto, pertinho dos 70. Está mais para o ocaso do que para o raiar do dia. Se realmente fosse verdade tudo o que dele falam, o que deveria ter acontecido era Bornhausen meter a colher, aliar-se ao poder como fizeram outros políticos até mesmo do seu próprio partido. Mas, ao contrário, fincou o pé na oposição. Aliás, a única oposição cerrada ao desgoverno esquerdóide.
Além do mais, Bornhausen é um sujeito educado. Talvez seja a qualidade que lhe é inerente que mais aprecio, mormente quando se vive num país de novos ricos cretinos e pobres atrevidos. Bornhausen tem classe, coisa que falta à maioria dos brasileiros. A comparação (em termos de coerência) com Hitler e Mussolini não cabe, porque Hitler, até onde eu sei, era um mentiroso. Chegou ao poder ser ter um voto sequer, como de resto o seu partido. Nunca participou do jogo democrático. Mussolini, era outro mentiroso e incoerente, pois iniciou sua vida no partido socialista italiano, juntamente com Gramsci. Depois foi o algoz do pensador sardo. Agora, com relação ao Senador Jorge Bornhausen, sei que nasceu de uma família de políticos. Seu pai foi eleito governador de Santa Catarina. E, analisando o seu discurso e suas ações, não me consta que Jorge Bornhausen tenha exibido ao longo de sua carreira de empresário e político, o ranço nazi-fascista. Por tudo isso, considero que na atualidade da política brasileira Bornhausen sobressai como um dos políticos mais preparados e experientes e que presta, nesses momentos críticos da vida nacional, um inestimável trabalho em favor da necessária assepsia que se tem de fazer nas hostes do poder.

Cordial abraço do

aluízio amorim
http://oquepensaaluizio.zip.net

ph disse...

Aluizio, meu caro, mas você não acha que o fato de ter não só apoiado mas também ter feito parte ativamente da ditadura militar é o suficiente para manchar a carreira do senador Bornhausen?
E uma correção: o Partido Nacional Socialista chegou ao poder pela via democrática, ganhou as eleições democraticamente. Mas, de novo, só mencionei Hitler e Stálin por serem tiranos coerentes. Não estou, longe disso, dizendo que Bornhausen é nazista.
Pra mim, é um prazer discutir com você.
grande abraço
ph